Webinar - 23 de Setembro

Assista à  GRAVAÇÃO desta WEBINAR através deste link AQUI.

 

Dia: 23 de Setembro - SEGUNDA FEIRA


Horário: 19h do Brasil  - 23h de Portugal


Temática:


Por que muitas vezes é tão difícil responder às perguntas que as crianças fazem sobre  sexo e sexualidade?

Como se explica que, por vezes, seja tão difícil responder às perguntas das crianças sobre sexo e sexualidade?
É comum encararmos com satisfação as questões que as crianças nos colocam sobre os mais variados assuntos e darmos respostas ou encetarmos uma conversação com elas com agrado e segurança.
Mas ... muitas vezes (senão quase sempre) ficamos confusos/as, atrapalhados/as, constrangidos/as e até inseguros/as quando as crianças nos fazem perguntas sobre sexo e sexualidade.
Por que será?
Sabedores da curiosidade característica da criança, precisamos de dirigir a atenção para estas nossas dificuldades e procurar modos de superá-las.
Nesta webinar refletiremos sobre as possíveis causas destas dificuldades e, sem objetivar formular receitas de como responder às  questões das crianças, (até porque  não existem receitas) faremos um breve exercício de como responder a algumas destas questões de  forma simples e tranquila.

 

Palestrantes:

Dhilma L. de Freitas -  IEUL

Isabel Chagas - IEUL

 

 
Paula MacedoEducadora de Infância - Barreiro/Portugal
 
 
Carmita Garcia - Professora do 1o Ciclo - Maranhão/Brasil
 


Grupo Responsável – GRUPO GEISEXT- IEUL 

 

Marta Caserito - GRUPO GEISEXT- IEUL

 

Dulce Mourato  - GRUPO GEISEXT - IEUL

 

___________________________________________________________________________________________________

Outros materiais sobre o assunto (Webinar Setembro)

Alguns sites interessantes sobre o assunto

16-09-2013 02:07
Como responder às perguntas sobre sexo feitas pelas crianças    O guia das perguntas difíceis    FALAR DE SEXO COM SEU FILHO   COMO FALAR DE SEXO COM AS CRIANÇAS   A Sexualidade Infantil   A sexualidade infantil dos 3 aos 6 anos de idade   Sexualidade...

 

ALGUMAS INDICAÇÕES DE BIBLIOGRAFIA

 

  • Pressupostos de uma Formadora em Educação Sexual: lições da prática.Revista Contexto e Educação V.27, no 88  2012
  • ARIÈS, Philippe. História social da infância e da família. Rio de Janeiro: Zahar, 1973. 196p.
  • DEL RIO, C. Hernandez Sanchez. Educação sexual do 0 aos 6 anos: quando e como abordar. Lisboa: Editora Papa Letras, 2010. 
  • HAFFNER, Debra W. A criança e a educação sexual. 1. ed. Lisboa: Editorial Presença,2005. 
  • NUNES, César; SILVA, Edna. A. da. As manifestações da sexualidade da criança:desafios teóricos e subsídios didáticos para pais e educadores. Campinas, SP: Século XXI, 1997.
  • SILVA, Maria Cecília P. da. Sexualidade começa na infância. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2010. 
  • SUPLICY, Marta. Papai, mamãe e eu: o desenvolvimento sexual da criança de zero a dez anos. São Paulo: FTD, 1999.
     

 

Webinar - 23 de Setembro - Deixe aqui as suas dúvidas e/ou questões

Data: 25-09-2013

De: Dhilma

Assunto: Uma pergunta enviada e que achei importante compartilhar aqui

Caros/as amigos/as

Recebi uma pergunta enviada pelo Alex Eduardo Lemos acerca da "sugestão"da resposta dada à uma pergunta feita por uma criança e achei importante trazê-la para cá ( com a permissão do Alex), como forma de enriquecer estas reflexões. Aqui abaixo vai a nossa conversa coiada literalmente do Facebook:
Olá Dhilma, tudo bem? Parabéns pela apresentação de hoje. Assisti até 1h 40min. Gostaria de compartilhar uma reflexão que fiquei a refletir quanto a menina de 9 anos. Fiquei pensando na forma a qual você colocou em orientar a criança dizendo que é uma forma da mamãe demonstrar amor para o papai. Isso não poderia levar a uma associação de que para demonstrar o amor teria que fazer o sexo oral, a criança não poderia carregar isso como uma forma de que para agradar o parceiro teria que submeter a isso? Algum dia se ela viesse a ter um relacionamento que não foi próspero, ela poderia incutir que um dos fatores foi que não fez ou que não era desse ou daquele jeito? Fico a pensar, seria importante dizer que quando adultos fazemos coisas que nos dão prazer e que dará prazer ao outro, isso é uma parceria que os casais fazem, não submeter a fazer coisas para agradar o outro, mas onde ambos se encontram na relação. Fiquei questionando e gostaria que me ajudasse a elaborar isso. Obrigado Abraços.

Dhilma Freitas
Pois....obrigada pela reflexão e colocação Alex ...cOM CERTEZA a tua complementação à mnha fala é muito importante. Todo cuidado ao colocarmos estas questões para as crianças, ainda é pouco. Tens razão na questão que levantas. Por outro lado....na hora que a gente fala...ainda mais num espaço com pouco tempo, pensamos estarem as coisas todas claras e na verdade não estão. Destacar que só devemos fazer coisas que nos dão prazer, e demonstrar "formas de carinho e de amor"que nos são bem vindas é de fundamental importância. Vou aproveitar e colocar esta nossa conversa lá no Fórum do site do projeto para ajudar a clarear esta questão para as demais pessoas. Posso? Muito obrigada por colaborar com estas reflexões. Abraços fraternos ...Dhilma

Novo comentário